Header Ads




Sete são presos por envolvimento na morte de joalheiro no Pará; crime foi encomendado por cliente que devia R$ 1,9 milhão, diz polícia

Quatro mulheres e três homens foram presos no Pará, Maranhão, Goiás e Paraná na operação 'Golden' e devem responder por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e subtração de bens.
Crédito: Reprodução/Correio de Carajás


Uma operação policial deflagrada nesta quinta-feira (30) em quatro estados prendeu sete pessoas suspeitas de envolvimento na morte de um vendedor de joias em Marabá, no sudeste do Pará. Segundo a Polícia Civil, uma das presas devia R$ 1,9 milhão à vítima e teria encomendado a morte para não precisar pagar o valor.


Três pessoas foram presas em Marabá, uma em Imperatriz, no Maranhão, uma em Goiânia, Goiás, e e duas em Foz do Iguaçu, no Paraná. Entre os presos estão três homens e quatro mulheres, uma delas a devedora que encomendou a morte.


Os sete devem ser indiciados por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e subtração de bens.

Joias foram apreendidas na casa de suspeitos presos em Marabá; eles são suspeitos de envolvimento na morte de vendedor de joias — Foto: Polícia Civil/Divulgação





Durante a operação denominada Golden, joias e documentos foram apreendidos nas casas dos investigados. Os presos em outros estados serão trazidos ao Pará.

Segundo a polícia, foi constatado que uma das investigadas era cliente e devia R$ 1,9 milhão à vítima e que esta foi a "principal motivação para o delito". Ainda conforme a investigação, cerca de R$ 1 milhão em joias também foi roubado durante o crime.

A vítima foi encontrada morta em 15 de abril em um rio de Marabá. O homem desapareceu dois dias antes, segundo a polícia, em Parauapebas, onde morava.

O carro dele foi encontrado na época abandonado na BR-230 no acesso a um lixão. No veículo estava a carteira do motorista, 11 cheques que somavam mais de R$ 500 mil e um faca suja de sangue.

Fonte G1 Pará 

Nenhum comentário