Header Ads




UPA 24h: Projeto ‘Prontuário Afetivo’ leva humanização no acolhimento do Centro Especializado de Atendimento Covid-19

No prontuário afetivo consta informações como a música preferida, comida que mais gosta, nome dos filhos, dos pets e outras informações que definem quem é a pessoa por trás do paciente.
A equipe psicossocial da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h implantou nos dois isolamentos do Centro Especializado da Covid-19 o projeto Prontuário Afetivo, que tem o objetivo de aproximar e criar mais conexões positivas entre o paciente e a equipe multidisciplinar.

O projeto quer fortalecer a autoestima das pessoas internadas, focando nas características menos técnicas e mais na subjetividade, contendo informações sobre os gostos e alegrias do paciente.

São muitos os elementos que definem quem é a pessoa por trás do paciente. E esses detalhes constroem o prontuário afetivo, como por exemplo, de que forma gosta de ser chamado, se tem filhos, se tem pets, qual a comida e música preferida, quais os hobbies, entre outros.

O prontuário fica próximo ao leito, de fácil leitura para a equipe, com um layout mais lúdico e colorido. De posse dessas informações, a equipe assistencial tem a liberdade para iniciar uma conversa mais descontraída e em alguns casos colocar a música preferida. No caso da música, é uma conduta rápida, com som do celular baixo, mas que leva uma tranquilidade e sensação de bem-estar.

A psicóloga Jane Wanderley destaca a importância desta ação para proporcionar segurança e reforçar ainda mais o vínculo entre eles. “Muitas vezes, com a rotina cansativa e difícil, a maioria dos profissionais não conhece a história de vida de seus pacientes. É um resgate dessas afetividades das relações humanas e também contribui para uma assistência mais humanizada. Estamos cuidando do amor de alguém”, reforça.

Dona Maria Aldenires da Silva, de 67 anos, está internada desde o dia 3 de novembro e disse para equipe que é professora aposentada e que gosta de ser chamada de “Deza”. Ela fez questão de falar que sua maior alegria é estar perto da única filha e dos dois netos. Contou também sobre sua mãe de 92 anos, que está aniversariou neste 12 de novembro.

“Quando eles perguntaram sobre a minha vida, eu achei que eu era importante. Às vezes parece que a gente não tem importância para essas pessoas. Hoje eu fiz questão de contar para o médico que é aniversário da minha mãezinha, minha rainha. Eu me sinto acolhida com todos e sinto que ajuda no meu tratamento”, finalizou.
Legenda da foto: Dona Maria Aldenires, acompanhada da equipe multidisciplinar. Acima do leito, o prontuário afetivo da paciente.

Nenhum comentário