Header Ads




Arroz e feijão consumidos pelo paraense sofreu reajuste de 86% neste ano

Comer feijão com arroz está pesando no bolso do paraense.
Crédito: Reprodução/Agência Brasil

O tradicional prato do paraense está mais caro. O arroz e o feijão estão entre os vilões da inflação deste ano, segundo o DIEESE/PA (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Nos últimos 12 meses o feijão e o arroz fizeram parte dos itens da alimentação básica com os maiores reajustes de preços, o quilo do feijão teve uma alta acumulada de 25,04% e o arroz de 85,93%.

Segundo as pesquisas, a trajetória de alta no quilo do feijão consumido pelos paraenses vem desde o segundo semestre de 2020. No final do ano passado, o quilo do feijão foi comercializado, em média, em supermercados de Belém, a R$ 6,77. Já em janeiro deste ano estava custando R$ 7,39.

Ainda segundo o Dieese, assim como o feijão, o arroz também teve uma trajetória de preços bastante elevada. A alta no preço do arroz também vem acontecendo desde o final do ano passado, o quilo do alimento foi comercializado, em média R$ 4,93. E iniciou o ano de 2021 com o preço médio, R$ 5,02, e a tendência para este mês de fevereiro ainda é de alta nos preços de ambos dos produtos.

Com informações do DIEESE/PA

Nenhum comentário