Header Ads




Governador do Pará anuncia que está negociando doses da vacina russa Sputnik V contra Covid-19

Imunizante é produzido no Brasil pela farmacêutica União Química.

Governador Hélder Barbalho: Reprodução Sociais 

O governador do Pará Helder Barbalho (MDB) anunciou, pelas redes sociais, que está negociando a aquisição de doses da vacina russa contra a Covid-19, a Sputnik V. A vacina é produzida no Brasil pela farmacêutica União Química, que avançou na confecção após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) flexibilizar regras para aprovação do uso emergencial dos imunizantes no Brasil.

Vacina Sputnik contra a Covid-19 no Brasil: veja perguntas e respostas

Segundo Barbalho, outros chefes de Estado devem participar, nesta semana, de uma reunião sobre o assunto em Brasília.

"Na próxima terça-feira estarei em Brasília junto com diversos governadores. Vamos visitar o laboratório União Química, responsável pela produção da vacina Sputnik-V. A unidade no Brasil é habilitada junto ao laboratório russo Gamaleya. A intenção é dialogar, inclusive com a embaixada russa, para aquisição do imunizante para ampliar a vacinação em todo nosso Estado", anunciou.

Ainda de acordo com Barbalho, o governo destinou fundos específicos para aquisição de imunizantes. "Já possuímos recursos garantidos para aquisição de até 3 milhões de vacinas para ampliar fortemente a cobertura no entorno d nosso Estado".

Em relação à continuidade da vacinação no estado, Helder afirmou que o Pará deve receber do Ministério da Saúde, nesta semana, mais uma remessa de vacinas que será encaminhada aos municípios. A previsão da chegada é na quarta-feira (3). O estado ainda deve receber 1,5 milhão de doses de imunizantes até o dia 30 de março, segundo o governo.

Covid-19 no Pará

O Pará registra neste domingo (28) 365.411 casos de Covid-19 e 8.643 mortes. Até então, o Pará recebeu do Ministério cinco remessas de vacinas, totalizando 414.040 doses, e vacinou 187.762 pessoas.

Os lotes das vacinas já enviados pelo Ministério da Saúde começaram a chegar desde 18 de janeiro. As remessas foram:

18 de janeiro: 173.240 doses da CoronaVac/Sinovac
24 de janeiro: 49 mil doses da Oxford/AstraZeneca
25 de janeiro: 29.200 doses da CoronaVac/Sinovac
06 de fevereiro: 64.400 doses da CoronaVac/Sinovac
24 de fevereiro: 98.200 doses da CoronaVac/Sinovac (37.200) e Oxford/AstraZeneca (61 mil)

Nenhum comentário