Header Ads




Prefeitura de Mojui dos Campos decreta 'lockdown' de 8 dias para impedir avanço da Covid-19

(Foto: Burlamaqui / Estado do Pará News)

A Prefeitura de Mojuí dos Campos, no oeste do Pará, publicou na manhã desta segunda-feira (01) o Decreto nº 123 que estabelece regras mais rígidas e decreta o lockdown -isolamento intensificado com medidas mais restritivas de tráfego e circulação de pessoas, para tentar conter o avanço da nova cepa do novo coronavírus no município. O decreto tem vigência até 8 de fevereiro ou até mudar a situação epidemiológica do município, e poderá ser prorrogado por mais 7 dias.

As medidas incluem o fechamento das atividades não essenciais no município. Para tentar conter o avanço do vírus, está proibida a partir desta segunda-feira (1º) a circulação de pessoas. Porém, ficará permitido os casos de deslocamento por força de trabalho – com apresentação de carteira de trabalho, funcional ou documentação que prove a necessidade de deslocamento – ida aos serviços essenciais, como supermercado e farmácias, autorizados a funcionar.

“Diante da situação epidemiológica que vivemos, com o esgotamento de leitos e aumento de pessoas na fila de espera em Santarém, município que recebe nossos pacientes, não podemos ficar de braços cruzados, precisamos de algum jeito conter a proliferação desse vírus e da nova cepa que segundo especialistas é muito mais contagiosa mesmo que essa decisão não agrade a muitos, mas nós temos e priorizamos vidas”, declarou o prefeito de Mojuí dos Campos Marco Antonio lima.

Os serviços de ônibus, táxi, mototáxi e de transporte por aplicativo devem solicitar dos passageiros comprovação de que a circulação é amparada pelo decreto.

Os comércios funcionarão das 8h às 19h e aos sábados e domingos das 8h às 14h. Também fica autorizado o serviço delivery de alimentos in natura e industrializados, comidas prontas, medicamentos, produtos médico-hospitalares e produtos de limpeza e higiene pessoal, sem restrição de horário.

O estabelecimento que não cumprir ou não fizer cumprir por parte de seus clientes, as normas estabelecidas no Decreto nº 123, será penalizado através de multas que variam entre R$ 294,01 ou em caso de reincidência, multa no valor R$ 588,03. A decisão foi tomada após a região do Baixo Amazonas ser reclassificada para bandeiramento preto, com risco elevado de contaminação da Covid-19.

Os estabelecimentos autorizados a funcionar que desempenhem serviço ou atividade essencial devem, obrigatoriamente, seguir medidas preventivas à Covid-19: controle de entrada de pessoas, uso de álcool em gel, distanciamento social, e proibição de acesso de pessoas sem máscaras.

Blogdocarpê com informações Ascom 

Nenhum comentário