Header Ads




Com cesta básica de R$ 512, Governo do Pará dará apenas R$ 100 para pessoas de baixa renda enfrentarem lockdown

Com cesta básica de R$ 512, Governo do Pará dará apenas R$ 100 para pessoas de baixa renda enfrentarem lockdown
Crédito: Fotos Públicas

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), em um novo pronunciamento referente as medidas adotadas para o enfrentamento da covid-19 no estado, anunciou nesta segunda-feira, 15, em coletiva, o pagamento de R$100 para paraenses de baixa renda enfrentarem o período de lockdown.Com esse valor, famílias não conseguem comprar nem os 12 itens básicos da alimentação, segundo dados do Dieese

Esse valor, porém, de acordo com dados divulgados em março deste ano pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese-PA) não paga nem a metade da cesta básica paraense que, em fevereiro deste ano custou R$512,95, comprometendo mais da metade do novo salário mínimo de R$1.100, em vigor desde janeiro deste ano.

Ainda de acordo com o Dieese, no mês passado, o custo da cesta básica para uma família paraense padrão, ou seja, composta de dois adultos e duas crianças, ficou em R$1.538,85, ou seja, seriam necessários, aproximadamente 1,39 salários
mínimos para garantir as mínimas necessidades do trabalhador e sua família, somente com alimentação. Sendo assim, com R$100 que o governo dará através do Renda Pará, o paraense não conseguiria comprar os 12 itens básicos da cesta.

Com base no levantamento feito pelo Dieese, podemos observar que com os R$100 que o governo se disponibilizou a dar, o paraense de baixa renda só consegue comprar um quilo de: carne (R$34,29); arroz (5,08); feijão (R$7,40); farinha (R$7,02); 900ml de óleo (R$8,75); um litro de leite (R$5,30); tomate (R$6,33); uma dúzia de banana (R$7,01); açúcar (R$3,80) e, torcer para encontrar o açaí - que também faz parte da cesta básica dos paraenses - a um bom preço. Mas, tudo isso é claro, desde que não acabe o gás em casa, pois na capital, o mesmo já está custando, em determinados bairros, R$100 reais.

O anúncio sobre o pacote econômico de 500 milhões de reais e demais medidas para minimizar os impactos durante a pandemia da covid-19 foi divulgado no final da tarde de hoje.

Pacote Econômico - Auxílio Direto

- Novas parcelas do Renda Pará, garantindo R$ 100 milhões em auxilio para 1 milhão de paraenses de baixa renda

- Auxílio de R$ 500,00 para músicos, garçons, manicures, cabeleireiros e professores de educação física autônomos. Os profissionais devem procurar a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) para informações detalhadas relacionadas a Lei Aldir Blanc.

- Mais três recargas no auxilio alimentação para estudantes da rede estadual de educação, beneficiando 576 mil alunos

- Auxílio de R$ 2.000,00 reais para estabelecimentos comerciais como bares, lanchonetes, restaurantes, arenas, academias e espaços esportivos, desde que regularizados junto a Jucepa e a Secretaria de Estado de Fazenda.

- Isenção do pagamento de água para consumo residencial e comercial de até 10 metros cúbicos em março e abril e suspensão dos cortes de energia e água. Esta medida é válida para municípios em bandeiramento preto e/ou vermelho.

Pacote Econômico - Linha de Financiamento (reativação do Fundo Esperança a partir do dia 16 de março)

- Suspensão da cobrança e pagamento de quem fez empréstimos do Fundo Esperança em 2020 por 6 meses.

- Mais R$ 150 milhões disponíveis para empréstimos voltados para pequenas e médias empresas com juros de 0,2%, 6 meses de carência e 3 anos para pagar.

- Aumento do limite de empréstimo de R$ 15.000 para R$ 50.000

Pacote Econômico - Pacote Tributário

- Isenção de IPVA 2021 para veículos dos bares, restaurantes, lanchonetes, academias, hotéis e empresas de turismo

- Suspensão do pagamento do ICMS antecipado de bares, lanchonetes e restaurantes (março a maio)

- Redução do ICMS de 5% para 2% para bares, restaurante e lanchonetes (março a maio)

- Postergação do vencimento do ICMS para bares, lanchonetes e restaurantes do dia 10 para o dia 25 (março a maio)

- Prorrogação do Simples Nacional para as empresas paraenses por 6 meses (março a maio)

Pacote Econômico - Auxílio Direto (a partir de informações dos municípios de Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides e Santa Bárbara)

- Duas parcelas de R$ 200,00 para trabalhadores informais como feirantes, ambulantes, catadores, flanelinhas, entre outros. O pagamento deste auxílio depende de dados informados pela administração dos 5 municípios participantes do lockdown.

Gente Roma News 

Nenhum comentário