Header Ads




Conselho de Enfermagem orienta como evitar e denunciar falsa aplicação da vacina contra a covid-19

Crédito: Ministério da Saúde

O Comitê Gestor da Crise do Conselho Federal de Enfermagem (CGC/Cofen) divulgou hoje um guia de como deve ser feita a aplicação correta do imunizante contra a covid-19 e também como fazer denúncia de irregularidades na aplicação. O guia é uma resposta as 14 denúncias de falsas aplicações da vacina em todo o Brasil.

Eduardo Fernando Souza, coordenador do (CGC/Cofen), conta que "A orientação é pedir para observar a enfermagem fazendo a aspiração da vacina do frasco para a seringa. E, depois, observar todo o líquido sendo injetado no braço. Ou seja, pedir para ver a seringa cheia e, após a aplicação, totalmente vazia, demonstrando que toda a dose da vacina foi aplicada", disse.

Segundo ele, os profissionais que aplicam o imunizante também são orientados a mostrar essas etapas à população. Também vale lembrar que familiares e amigos podem registrar o momento da vacinação. Para descobrir possíveis fraudes, o ideal é que o momento da imunização seja filmado. Postos de saúde e outros locais responsáveis pelo processo não podem impedir a população de fazer fotos ou vídeos.

Caso algo suspeito seja percebido, o diretor do Comitê de Crise explica como se fazer uma denúncia corretamente. "Muitas imagens não identificam local, data, nome do profissional. Neste caso, fica muito difícil abrir um processo administrativo para fazer a verificação", disse. "Por isso, é importante mandar local da vacinação, hora, nome do profissional, do paciente, tentar mostrar o crachá do profissional, identificar a instituição, mandar foto da carteira de vacinação para identificar o lote, ver quem assinou. Quanto mais informação, melhor", complementou. Eduardo diz que uma das maiores dificuldades em relação às falsas aplicações é reunir elementos suficientes para determinar com precisão o que ocorreu.

Sobre as denúncias de falsas aplicações, o coordenador comenta que os casos são apurados pela entidade, sem interferir nas investigações realizadas por outros órgãos. Se for comprovado que um enfermeiro ou técnico agiu de má fé, ele pode até perder seu registro profissional. "Todos os órgãos de controle estão recebendo e monitorando a questão da vacinação. Os fura-filas também devem ser denunciados. No Conselho, é aberto processo, com ampla defesa, e o profissional pode ser cassado", garante.

Com informações do Conselho Federal de Enfermagem

Nenhum comentário