Header Ads




Em cumprimento de decisão do STF, provas do concurso da Polícia Civil estão suspensas

As novas datas ainda não foram definidas, informou a SepladCrédito: Kleberson Santos/Agência Pará

Mais um concurso público no Pará será adiado. Dessa vez, o da Polícia Civil, em cumprimento da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgada no sábado, 13, que suspende todas as provas de concurso no estado. A Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) informou que acatou a suspensão nesta segunda-feira, 15.

As novas datas ainda não foram definidas e devem ser analisadas posteriomente, de acordo com o quadro de saúde pública no Pará. "A Seplad segue as orientações da Sespa e do Decreto nº 800/2020, e aguarda para definir os cronogramas dos certames. Todas as informações assim que estabelecidas, dentro das possibilidades, serão informadas através das mídias do Governo do Pará", informou o Governo do Estado por meio de nota.

A decisão proferida pelo ministro Luiz Fux, atual presidente do STF levou em consideração os altos índices de contaminação e óbitos por covid-19 no estado paraense. A prova do concurso da Polícia Militar, que seria realizada no último domingo, 14, também foi suspensa. Confira abaixo a decisão de Fux:

“Ex positis, DEFIRO O PEDIDO LIMINAR para suspender os efeitos da decisão proferida nos autos da Suspensão de Liminar nº 0801974-43.2021.8.14.0000, restabelecendo a proibição de realização de todas as fases/etapas de concursos públicos e/ou processos seletivos simplificados em andamento em que se faça necessária a presença física de candidatos em locais de provas e/ou para entrega de documentos, enquanto em vigor as fases vermelha ou preta de classificação de nível de risco do Decreto Estadual nº 800/2020 e atualizações posteriores, até o trânsito em julgado da ação principal ou até decisão posterior proferida nestes autos. Comuniquem-se com urgência. Após, notifiquem-se os interessados para manifestação. Na sequência, abra-se vista dos autos à douta Procuradoria-Geral da República. Publique-se. Intimem-se”


Fonte Portal Roma News 

Nenhum comentário