Header Ads




Armas, munições e celulares são apreendidos e duas pessoas são presas em operação da PC que investiga crimes em Placas

Operação Pulu foi deflagrada na terça (13) e contou com a participação de policiais de Itaituba, Placas, Rurópolis e Santarém.
Operação Pulu aconteceu na terça (13) em Placas — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil na terça-feira (13) resultou na prisão de dois homens, além da apreensão de armas, munições e celulares. A ação policial aconteceu no município de Placas, no oeste do Pará.

De acordo com informações da Polícia Civil, a Operação Pulu foi deflagrada ainda por conta da repercussão do homicídio de um líder de assentamentos, ocorrido em 2018. A polícia deu cumprimento a mandados de busca e apreensão na casa de investigados na sede e na zona rural do município.

Nos imóveis que foram alvos da operação, foram encontradas armas e munições. Dois homens foram presos por posse ilegal de arma de fogo. No total foram cumpridos 6 mandados, sendo um na sede do município e os demais na zona rural.
Operação cumpriu mandados na sede do município e na zona rural — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Apreensões

Duas espingardas cal.20;
Uma espingarda cal.28;
Um revólver cal.38;
Vinte e sete munições cal.20 intactas e 14 deflagradas;
Nove munições cal. 38 intactas;
Duas munições cal.28 intacta e duas deflagradas;
Celulares.

Operação Pulu

O combate a crimes agrários foi intensificado na região a fim de elucidar e prevenir crimes de repercussão ocorridos na região. No último dia 10 foi preso um homem apontado como um dos executores do sindicalista Gilson Maria Temponi, que era conhecido pelo apelido de Mineiro, durante as operações realizadas pela Superintendência do Tapajós.

A Operação contou com a participaram de policiais civis da 15ª Risp - Itaituba, Rurópolis e Placas. Policiais civis da 12ª Risp - Santarém e DECA Santarém.

Prisão de acusado de participação na morte de líder de assentamentos
Gilberto Ribeiro é apontado como um dos executores do líder de assentamentos Gilson Temponi — Foto: Reprodução/Redes sociais

No sábado (10) uma operação resultou na prisão de Gilberto Ribeiro Pereira, 25 anos, apontado como um dos executores do líder de assentamentos Gilson Maria Temponi, de 46 anos. O crime aconteceu em 15 de dezembro de 2018.

Gilberto Ribeiro foi preso em uma residência na vicinal do Km 151, município de Placas. De acordo com a polícia, ele se recusou a assinar o mandando de prisão temporária e foi necessário o uso de algemas durante o trajeto até a delegacia de Itaituba, onde foi apresentado, porque tentou fugir quando a viatura passava pelo município de Rurópolis.

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário