Header Ads




Em meio à pandemia da covid-19, Helder gasta R$ 146 milhões em reforma do Mangueirão

Enquanto o estado padece com 80% dos leitos de UTI ocupados, Governo amplia a capacidade de lotação do estádio
Crédito: Jader Paes/Agência Pará

Há mais de um ano da pandemia da covid-19, a saúde ainda não é prioridade do Governo do Pará. Enquanto o estado sofre sem leitos suficientes para tratamento da doença que já matou 12 mil paraenses, Helder Barbalho (MDB) gasta mais de R$ 146 milhões em reforma do Mangueirão.

Na contramão das recomendações de órgãos de saúde, que indica isolamento social para conter a propagação do vírus, o Pará gasta milhões para ampliar capacidade de lotação do estádio. As obras já estão em andamento e o prazo de conclusão é de 18 meses. Tal compromisso não é replicado nas ações de saúde.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado ontem, 19, pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Pará amarga a taxa de 80% na ocupação dos leitos de UTI adulto para tratamento da covid.

O descaso da administração estadual da saúde na pandemia já está na mira da Justiça. O Ministério Público do Pará anunciou que vai apurar o caso das denúncias que vieram à tona no último sábado, 17, relacionadas a 19 respiradores encontrados no Hospital Regional Abelardo Santos, em Icoaraci, na Grande Belém. O caso ganhou repercussão nacional.

Em março, o Ministério Público do Pará (MPPA) pediu o afastamento do governador por improbidade administrativa. Em abril, a Justiça determinou o bloqueio de bens do Helder Barbalho e o ex-secretário da Saúde, Alberto Beltrame. Em ambos casos por conta de compra de bombas de infusão no combate à pandemia do coronavírus.

Fonte Roma News 

Nenhum comentário