Header Ads




Júri popular julga autor da 'chacina de Paca' nesta quinta-feira por triplo homicídio e uma tentativa

Previsão é que sentença saia na sexta-feira (28) após debates na sessão do Júri Popular. 14 testemunhas serão ouvidas além do réu Mauro Barrozo. Crime aconteceu em maio de 2019.
Por Geovane Brito e Daniele Gambôa, G1 Santarém e TV Tapajós — Pará

Dois anos após o crime que ficou conhecido como "Chacina de Paca", em Belterra, no oeste do Pará, Mauro Barrozo é levado a júri popular no Fórum da Comarca de Santarém. A sessão iniciou nesta quinta-feira (27), mas a previsão é que a sentença saia somente na sexta-feira (28).

Mauro Barrozo responde pelas mortes de Pedro Boschetto, de 63 anos, Raimundo Silva de Paula, 43 anos, e Douglas Boschetto de Paula, 12 anos, e pela tentativa de homicídio contra Luís Jorge Boschetto.

Mauro Barrozo, com uniforme do presídio, durante sessão do júri da "Chacina de Paca" — Foto: Daniele Gambôa/TV Tapajós

De acordo com o juiz titular da 3ª Vara Criminal, Gabriel Veloso, 14 testemunhas e o réu serão interrogados na fase de instrução e no dia seguinte ocorrerão os debates.

"A primeira a ser ouvida é a testemunha sobrevivente e a única ocular dos fatos. Todas as 14 foram intimadas, as que não vieram vão ser conduzidas, mas há a possibilidade de o Ministério Público e a defesa desistirem de testemunhas, que pode ser encurtar a duração do júri de dois dias para um dia", explicou o magistrado.

Por conta da pandemia, foi limitada a presença de público dentro do Salão do Júri, podendo participar apenas as partes envolvidas no processo, que seguem rigoroso protocolo sanitário.

"A primeira a ser ouvida é a testemunha sobrevivente e a única ocular dos fatos. Todas as 14 foram intimadas, as que não vieram vão ser conduzidas, mas há a possibilidade de o Ministério Público e a defesa desistirem de testemunhas, que pode ser encurtar a duração do júri de dois dias para um dia", explicou o magistrado.

Por conta da pandemia, foi limitada a presença de público dentro do Salão do Júri, podendo participar apenas as partes envolvidas no processo, que seguem rigoroso protocolo sanitário.

Após mais de uma semana de buscas, polícia captura autor da chacina em Belterra

Vítima e crimes

Raimundo Silva de Paula e Pedro Hélio Boschetto: homicídio por motivo fútil sem que as vítimas pudessem se defender;
Douglas Boschetto: homicídio culposo por motivo fútil sem que a vítima pudesse se defender.
Luis Jorge Boschetto: tentativa de homicídio por motivo fútil sem que a vítima pudesse se defender.

O juiz ainda, baseado na gravidade dos crimes, negou que Mauro recorresse em liberdade, mantendo-o em prisão preventiva.

A chacina

Mauro Barrozo está preso desde o dia 6 de junho. Ele foi capturado pelas polícias Civil e Militar, após 11 dias de buscas nas matas do município de Belterra. Mauro matou a tiros de espingarda: Pedro Boschetto, 63 anos, Raimundo Silva de Paula, 43 anos, e Douglas Boschetto de Paula, 12 anos, na comunidade Paca. Um filho de Mauro também foi encontrado morto, mas teria sido vítima de um tiro acidental dado pelo irmão.

O assassino confesso foi preso após descer de um ônibus na BR-163, à altura do bairro Matinha, zona urbana de Santarém. Ele estava acompanhado pela mãe e por seu filho Daniel. Os três caminhavam às margens da rodovia quando foram localizados por uma viatura do Grupamento Tático Operacional (GTO), depois de o motorista do ônibus avisar a polícia que ele havia pego a condução no quilômetro 72 e descido no bairro Matinha.

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário