Header Ads




Presidente da CBF, Rogério Caboclo, é afastado por 30 dias após denúncia de assédio


Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, foi afastado do cargo no fim da tarde deste domingo, após decisão do Conselho de Ética da entidade. Acusado por uma funcionária de assédio moral e sexual, Caboclo ficará afastado por 30 dias.

Antônio Carlos Nunes, vice-presidente mais velho da CBF, assumirá o cargo durante o afastamento de Caboclo. Uma reunião entre os diretores e vice-presidentes da CBF foi convocada para a manhã desta segunda-feira, 7. As informações foram divulgadas pelo GloboEsporte.com.

A denúncia da funcionária foi protocolada na Comissão de Ética da CBF e na Diretoria de Governança e Conformidade na última sexta-feira, 4. A mulher relatou que os abusos foram praticados desde abril do ano passado e afirmou ter provas de todas as acusações contra Caboclo.

O relato da mulher cita que o assédio ocorreu em viagens e em reuniões, que contavam com outros dirigentes da CBF. O presidente ainda teria perguntado se "ela se masturbava" e chegou a "forçá-la a comer um biscoito de cachorro, chamando-a de 'cadela'". Os abusos teriam ocorrido sempre que o líder da instituição "estava sob efeito de álcool".

Caboclo não se manifestou sobre as acusações e a funcionária se afastou das funções por conta dos assédios, que já seriam de conhecimento interno há cerca de um mês e meio.

Nenhum comentário