Header Ads




Autora de homicídio do jovem Matteo Santos é denunciada pela Promotoria de Justiça de Santarém

De acordo com a denúncias, as provas demonstraram a utilização de extrema violência, frieza e planejamento do crime.
Na primeira foto, Matteo com Raquel Travassos na comemoração do aniversário dele; na segunda, Raquel — Foto: Reprodução/Facebook

Raquel Silva Travassos, 21 anos, autora do homicídio do jovem Matteo Lima dos Santos, 25 anos, crime ocorrido em 21 de junho deste ano, foi denunciada nesta quinta-feira (2) pela 4ª Promotoria de Justiça de Santarém, no oeste do Pará.

O promotor de justiça Alexandre Azevedo de Mattos Moura Costa, aguardou a conclusão das diligências solicitadas à Polícia Civil (oitiva de testemunhas e conclusão de perícias) para oferecer a denúncia contra Raquel, que na época do crime era namorada de Matteo.

De acordo com a denúncia, Raquel adotava comportamentos abusivos durante o relacionamento com Matteo, chegando a invadir sua residência pela janela, sem qualquer autorização. Segundo apurado durante as investigações, a vítima teria tentado separar-se da autora do crime mais de sete vezes, sem que, no entanto, Raquel aceitasse.

Nessas circunstâncias de agressividade e possessividade, na véspera do crime, após uma discussão durante a madrugada, o casal encerrou a relação, o que, novamente, não foi aceito por Raquel. Porém, diferentemente das outras oportunidades, Matteo estava com viagem marcada para São Paulo (SP), onde passaria uma temporada a trabalho, o que levaria ao término definitivo do namoro. Foi a partir daí, que Raquel, segundo a denúncia, decidiu tirar a vida de Matteo.

Na manhã do crime, Raquel foi até à residência dos seus pais e pegou, sem autorização, uma arma de fogo (pistola .40) de seu pai, que é policial militar e saiu para efetivar sua intenção homicida.

Ao chegar na casa de Matteo, por volta de 12h, Raquel efetuou quatro disparos contra o jovem, dos quais três o atingiram, sendo um tangencial, outro transfixante à curta distância e um explosivo, encostado na cabeça, causando explosão craniana, conforme apontou a perícia.

"A motivação egoística e o comportamento possessivo, além da própria materialidade do crime (laudos periciais) somente foram observados após cumprimento das diligências requeridas pelo Ministério Público, configurando, portanto, provas novas ao processo", informou a Promotoria.

Ainda conforme a Promotoria, as novas provas evidenciaram, ainda, que a forma de execução do crime demonstra a utilização de extrema violência, frieza e planejamento do crime, o que, somado a outros fatos, permitiu a conclusão pela necessidade de sua prisão cautelar, cujo pedido será analisado pela 3ª Vara Criminal de Santarém.

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário