Header Ads




Familiares, amigos e fãs prestam últimas homenagens ao músico Sebastião Tapajós em Santarém

Artista está sendo velado na Casa de Cultura, em Santarém, durante este domingo (3). ‘Tião’, como era carinhosamente chamado, faleceu em decorrência de um infarto no sábado (2).
Agência Santarém/Divulgação

O domingo deste 3 de outubro amanheceu mais triste para os amantes da música, isso porque o renomado artista paraense, compositor e violonista Sebastião Tapajós, de 79 anos, faleceu em decorrência de um infarto no sábado (2), em Santarém, no oeste do Pará.

O corpo do músico será velado durante todo o domingo na Casa de Cultura, no bairro Santa Clara, onde familiares, amigos e fãs compareceram para prestar as últimas homenagens.
Sebastião Tapajós, grande nome da música paraense — Foto: PMS/Divulgação

Segundo familiares, Sebastião passou por um procedimento cirúrgico na quinta-feira (30) em um hospital particular, estava bem e chegou a receber visitas na sexta (1º). Já no sábado, teve alta e no momento de sair do hospital, passou mal. A equipe médica realizou os procedimentos de reanimação, sem sucesso. O artista era cardíaco e havia passado, anteriormente, por cirurgia no coração.

Por meio das redes sociais o governador Helder Barbalho anunciou o decreto de luto oficial por três dias pela morte do violonista. Em Santarém, o prefeito Nélio Aguiar, também decretou lutou oficial de três dias em virtude do falecimento de Sebastião Tapajós.

Personalidades lamentam a morte do artista

“Perdemos um ser humano formidável, que nos deu exemplo de vida, que não era notado apenas pela virtude dele com o violão, mas principalmente pela virtude de ser autêntico. Não conheço ninguém que não gostasse do Sebastião. Conheço ele há pelo menos 40 anos e ele sempre foi uma figura gentil e humilde, nunca foi vaidoso, nem negou suas origens, nunca disse ‘não’ a quem o procurou e sempre que podia ajudava as pessoas. Ele era um gênio, merece todas as honras”, disse o secretário municipal de Cultura, Luís Alberto Figueira.

"Fizemos um trabalho em homenagem às cidades do oeste do Pará, viajamos pelas cidades e a cada visita, fazíamos uma composição. Ele gravou a parte dele no estúdio, e agora vamos dar continuidade a esse trabalho, que deve ficar pronto até o fim do ano. Sebastião foi e sempre será a nossa maior referência musical, um músico genial, a cara da música amazônica, o violão brasileiro tem a representatividade dele. Pra todos nós que fazemos música no oeste do Pará, ele é uma inspiração.", Gonzaga Blantez, músico.
À esquerda, Gonzaga Blantez, músico e amigo de Sebastião; à direita, Cristovam Sena, escritor de biografia do artista — Foto: Alcindo Lima/94 FM

"Essa é uma perda para o mundo artístico, ele marcou uma época de ouro. Fazendo com que todos aplaudissem o seu talento. 'Todo mundo que vê esse teu livro, elogia', me dizia ele. Ele era muito humilde, avesso à propaganda. Gostava de entrar nos ambientes pelos lados, não gostava de aparecer", Cristovam Sena, autor da biografia do artista.

“Foram 45 anos de amizade e convivência e ele contribuiu muito com a minha carreira. Ele já era uma estrela quando me recebeu e fez por mim o que eu tanto precisava. Ligou para uma grande gravadora e pediu que escutasse uma pessoa que ele achava talentosa. Depois nos tornamos amigos e eu quero declarar que essa é uma grande perda não só para o meio musical, mas pessoalmente, me sinto privilegiado de ter convivido com ele. Ele era ainda maior como pessoa do que como músico!”, Antônio José, cantor.

"Sebastião foi além do gigante, conheço trabalhos dele com músicos da Indonésia. Na Espanha os grandes músicos tocam Sebastião Tapajós. Ele era um ser iluminado, humilde, simples. Tocou nos maiores teatros do mundo, têm discos gravados no Japão, na Alemanha ele é um rei, ganhou dois anos seguidos um prêmio de música de lá. O mundo hoje está triste, mas o céu está em festa. Poesias e músicas estão sendo feitas pra ele. Merece todas as homenagens de grande astro que ele era", Jackson Matos, membro da Academia de Letras e Artes de Santarém.

Carreira conhecida internacionalmente

Nascido em um barco nas águas do rio Amazonas, entre os municípios de Alenquer e Santarém, municípios do oeste paraense, Sebastião Pena Marcião iniciou sua trajetória com o violão ainda criança em Santarém. Já adulto, consolidou a carreira no Brasil e alcançou fama na Europa, se apresentando com nomes consagrados da música nacional e internacional.

Grande parte do legado artístico de Sebastião Tapajós está detalhado na obra "Sebastião Tapajós, 50 anos de vida artística", do escritor Cristovam Sena, livro publicado em 2013.

Em 2017, o artista teve a música "Rei Solano" do disco "Aos da guitarrada" incluída na novela de horário nobre "A força do querer", da Rede Globo.

Sepultamento

Velório está sendo realizado na Casa de Cultura em Santarém durante todo este domingo, 3 — Foto: Alcindo Lima/94 FM

De acordo com familiares, o corpo de Sebastião será levado da Casa de Cultura para igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição na segunda-feira (4), às 7h30, onde será realizada uma missa de corpo presente.

Um cortejo deve ser feito por pontos da cidade em um carro do Corpo de Bombeiros. O sepultamento do artista está marcado para segunda-feira às 10h, no cemitério Nossa Senhora dos Mártires localizado na área central de Santarém.

Notas

Em nota, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), lamentou a morte do músico Sebastião Tapajós, um dos mais talentosos violonistas do mundo. O músico recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) e pela Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Em 2019, o selo Violão Paraense, da Secult, homenageou Sebastião Tapajós reunindo 30 partituras e a biografia do compositor. A Secretaria de Cultura se solidariza com os familiares, amigos e fãs desse grande mestre da cultura mundial.

A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Cultural (Semc), manifestou profundo pesar pelo falecimento do músico, violonista e compositor Sebastião Tapajós. A nota ressalta que o músico deixou um legado imensurável para mundo artístico. Seu talento rompeu as barreiras regionais e ele se tornou um artista de sucesso em todo o Brasil e na Europa, principalmente, onde foi premiado por várias vezes.

Também por meio de nota, a Câmara Municipal de Santarém manifestou pesar pelo falecimento do violonista Sebastião Tapajós, ocorrido neste sábado, 2 de outubro de 2021. O legislativo santareno reconhece o talento e o valor do artista para a cultura santarena, que, com seu trabalho, levou o nome da Pérola do Tapajós para vários continentes.

"E foi em terras mocorongas que Sebastião Tapajós escolheu para viver seus últimos dias, ficando a gratidão do nosso povo. Ao mesmo tempo, os vereadores santarenos se solidarizam com familiares e amigos desse grande artista", diz um trecho da nota.

* Colaborou Alcindo Lima, da 94 FM.

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário