Header Ads




Operação apreende mais de 2.600 m³ de madeira ilegal em sua 16ª fase no Pará


Crédito: Reprodução/Ascom Semas

A 16ª fase da operação Amazônia Viva, finalizada nesta sexta-feira 1º, embargou uma área equivalente a quase 14 mil campos de futebol e apreendeu mais de 2.600 metros cúbicos de madeira extraída ilegalmente. A operação foi realizada em duas frentes, nos municípios de Pacajá e Altamira, no sudoeste paraense.

A madeira extraída de forma ilegal apreendida nesta fase da operação corresponde a 2.330 m³ de madeira nativa em tora, 106 m³ de madeira em estacas e 155 m³ de madeira serrada. A 16ª operação destruiu 10 acampamentos erguidos em meio à floresta para atividades ilegais. Também foram destruídos 6 tratores, além de 18 motosserras, um correntão, usado para derrubada massiva de árvores, 5 cabos de aço, 2 rádios comunicadores, um pulverizador costal, dois motores, três botijões de gás, duas graxeiras para lubrificação de peças mecânicas, 750 litros de combustível e 96,56 quilos de alimentos.

Em Altamira, foram realizados 39 procedimentos administrativos e 36 procedimentos policiais, entre boletins de ocorrência, perícia e apreensão. A ação também apreendeu três armas de fogo, três munições de calibre 20 intactos e três cartuchos deflagrados. Já em Pacajá, foram 86 procedimentos administrativos e 10 procedimentos policiais.

Em suas 16 fases já realizadas, a operação Amazônia Viva já embargou 256.848,741 hectares de áreas de desmatamento ilegal e apreendeu mais de 12.066,19m³ de madeira derrubada de forma irregular.

A ação coordenada pela Semas faz parte do Programa Comando e Controle, integrante do Plano Estadual Amazônia Agora (PEAA), que visa a redução da emissão de gases de efeito estufa no Pará. Além da Semas, também participaram da ação as Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.

Com informações da Agência Pará.

Nenhum comentário