Header Ads




Prefeitura leva atendimentos remotos para a comunidade de Paissandu no Lago Grande

Com o apoio de um Projeto da USP, 44 consultas foram realizadas.
A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SemsaA) tem implantado parcerias que viabilizem assistência médica remota em comunidades de difícil acesso. Uma delas vem sendo desenvolvida na região do Lago Grande. No último dia 20, integrantes da equipe da Semsa estiveram na comunidade Paissandu para consolidar os primeiros atendimentos no mês de outubro. Em 7 dias de atendimentos foram 44 consultas realizadas.

A iniciativa faz parte de um programa maior de Saúde Digital desenvolvido pelo Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), que tem como pilares estratégicos, a criação de soluções inovadoras, incluindo atenção primária e preparação da força trabalho de saúde digital, através de um termo de cooperação técnico cientifico entre o poder público e as instituições hospitalares, os comunitários tem acesso a consultas com médicos à distância, por meio da telemedicina.
Legenda da foto: Os moradores de Paissandu foram assistidos por meio da telemedicina.

O Projeto de APS Digital é uma cooperação do Governo do Reino Unido com o Hospital das Clinicas da USP que tenta priorizar o atendimento de atenção primária para comunidades de difícil acesso. A comunidade Paissandu foi escolhida para receber este piloto.

"Os atendimentos são feitos por um médico em São Paulo que se conecta com uma equipe de enfermagem na comunidade que realiza a recepção e triagem dos pacientes. Uma vez habilitado a receber o atendimento remoto, o paciente é direcionado para uma sala de teleconsulta e o médico mesmo à distância pode atender essa demanda. Foram mais de 40 consultas e apenas uma delas não pode ser resolutiva por conta da distância entre médico e paciente", André Alves, representante do Projeto de APS Digital.
Legenda da foto: Parceria entre Prefeitura de Santarém e USP leva diversos atendimentos às comunidades.

Santarém é um dos municípios que tem maior dificuldade em atrair médicos para a atenção primária e o único no Brasil a participar do projeto. A ausência desses profissionais é bastante sentida na UBS de Paissandu e em toda a região do Lago Grande. Por meio destas parcerias, o poder público vem buscando alternativas.
Legenda da foto: Equipe da semsa e parceiros avaliam como positiva a realização do projeto em Santarém.

"A receptividade da comunidade foi muito boa e a equipe da enfermagem local foi essencial para o sucesso do projeto. A interlocução com o município de Santarém já tem sido feita há um tempo e a comunidade foi escolhida para este projeto. Por meio deste projeto e de outros, a gente procura diminuir as distâncias e atender a demanda da atenção básica nessa região", conclui Vânia Portela, titular da Semsa.

Portal do Carpê com informações Agência Santarém 

Nenhum comentário